Para os que gostam do blog 2014 com o dobro de Informações ….

Para os que gostam  do blog 2014 com o dobro de Informações ....

Anúncios

O que nós sabemos sobre o futebol africano?

Na foto, Guehi (E) e Mabidé (D), jogadores do Raja Casablanca. Getty Images

O campeonato marroquino de futebol movimentou um valor recorde na temporada 2012/2013 – 101 milhões de dirhams foram pagos pela rede de televisão estatal para transmitir o campeonato. Esse valor é equivalente a R$ 28,7 milhões. Ainda que a Globo jamais tenha liberado oficialmente a informação de quando cada clube ganha pelos direitos de TV do Brasileiro, especula-se que o Atlético-MG ganha R$ 70 milhões por ano, 2,43 vezes mais que todos os clubes marroquinos. No Marrocos, também existe a crítica à distribuição dos direitos de TV – especula-se que FAR Rabat, Wydad e Raja, os times mais populares, ganhem valores muito superiores aos outros.

Parece óbvia a frase “para um time perder, outro tem que vencer”, mas no futebol não é tão óbvia assim. A internet traz toneladas de informação em todas as línguas e mesmo assim, o Raja Casablanca era uma incógnita total no imaginário do brasileiro fã de futebol. No máximo, o apoio da sua torcida no local do mundial, com cantos curiosos e muita animação, e uma passagem pelo Mundial de Clubes de 2000. Sim, o Raja jogou aquele Mundial, e o Corinthians, campeão do mundo em 2012, teve muitas dificuldades para vencer o time jogando em casa. Contou, inclusive, com um gol validado de forma irregular. O grande destaque daquele time, o zagueiro Talal Al-Karkouri, depois do mundial foi para o Paris Saint-Germain. Atuou 77 vezes e depois passou pelo futebol inglês.

A Copa Africana das Nações passa sempre na ESPN. Na última edição, em 2012, Marrocos e Congo foram eliminados na primeira fase. A Liga dos Campeões Africana, entretanto, não é transmitida na íntegra para o Brasil. A última Liga foi vencida pelo Al-Ahly, que foi eliminado pelo Guangzhou no Mundial e depois apanhou do Monterrey. O Raja Casablanca, tricampeão, não jogou a Liga dos Campeões Africana em 2013 – está  no Mundial por ser o campeão marroquino, vencendo com 19 vitórias e duas derrotas. No atual certame, é 8º colocado.

Deo Kanda é um meiocampista congolês que atuou no Mazembe de 2009 a 2013 e tem 24 anos. E isso é tudo que soubemos sobre ele até ontem, quando tornou-se um Forrest Gump do futebol africano, sendo presente – ainda que não protagonista – nas duas maiores façanhas do futebol africano de clubes, as vitórias do Mazembe sobre o Inter (2010) e do Raja sobre o Atlético-MG (2013). Uma busca rápida na Wikipedia mostra que Deo Kanda fez poucos gols na sua passagem pelo Mazembe, mas tem cinco pela seleção congolesa, e é considerado um meia esquerda ofensivo, de flanco – inclusive, seu perfil em inglês diz que é atacante. O que sabemos sobre o futebol do Congo? Eles têm um goleiro folclórico e jogadores com penteados curiosos. O que sabemos sobre o futebol marroquino? Alguns jogadores que enfrentaram o Brasil em 1998, meia dúzia de coadjuvantes no futebol inglês e francês, conhecidos por fãs do esporte, como Chamakh. E hoje, também conhecemos o Raja Casablanca.

A pergunta que fica: podemos considerar um grande fiasco do futebol brasileiro se não sabemos ou não nos importamos com os adversários?

É a segunda vez que um clube africano vence um brasileiro no Mundial de Clubes. O signo da tragédia é semelhante ao que se ouvia quando o Brasil perdeu nas olimpíadas para a Nigéria (1996) e Camarões (2000). Assim como hoje, ninguém imaginava que a Seleção Brasileira, então tetracampeã mundial, poderia sucumbir diante de ilustres desconhecidos. Reação semelhante ocorreu quando Roger Milla encantou o mundo na Copa de 1990. O que mudou desde então? Nada. O futebol africano, no imaginário do torcedor brasileiro, segue sendo objeto de folclore, piada, gozação. Não há qualquer preocupação em entender ou conhecer os possíveis adversários. Quantos times brasileiros e sul-americanos enfrentaram o Atlético-MG, no ano, com o mesmo brio e a mesma concentração do Raja Casablanca? Quantos enfrentaram com a mesma qualidade?

A Fifa tem muitos problemas, e muitos deles referem-se à internacionalização do futebol – oescândalo da Copa do Catar é um bom exemplo. Com todos esses problemas, ela teve um grande acerto: o Mundial de Clubes. Nele, podemos assistir na TV jogos entre culturas diferentes de futebol, em níveis diferentes, de formas diferentes. Vianney Mabidé, jogador da República Centro-Africana – país devastado por conflitos que deixaram 600 mortos e refugiaram 159 mil pessoas nos últimos dias, conflitos invisíveis estes – pediu ontem a chuteira de Ronaldinho Gaúcho, mostrando sua devoção ao craque que foi eleito melhor jogador do mundo por duas vezes. Ele sabe quem é Ronaldinho. Ele sabia, respeitava, admirava, e deu uma aula para o mundo do que significa o jogo limpo e a lealdade no esporte. Nós sabemos quem é Mabidé? Nós sabemos quem são os 600 mortos da República Centro-Africana? Nós nos importamos com o que acontece na República Centro-Africana, no Marrocos, no Congo?

São divertidas as piadas com Ronaldinho, Cuca, Jô, Diego Tardelli e os outros. Fazem parte do folclore e da cultura do futebol. Só que um dia, elas podem se repetir tantas vezes que vão deixar de ser engraçadas. Aí, talvez, nós vamos nos importar com a África, berço e origem da humanidade e de grande parte da população do Brasil. Seja com os vivos que nos vencem, seja com os mortos que nos derrotam.

fonte :http://esportes.terra.com.br/futebol/el-aguante/blog/2013/12/19/o-que-nos-sabemos-sobre-o-futebol-africano/

O Técnico em Informática e a Ética Profissional

Mesmo com a maioria dos profissionais de TI associando esse termo àqueles que possuem uma graduação ou uma certificação, não podemos nos esquecer de que o técnico em informática, que por muitas vezes é criticado e tido como um mero formatador sem um conhecimento sólido e mais aguçado, também é um profissional do campo da tecnologia da informação e, portanto, deve ser respeitado.

tecnico-informatica-etica-profissional

Muito da má fama que esse profissional recebe advém da má qualidade dos cursos técnicos que, não raras vezes, ensinam os conteúdos apenas de forma superficial e de maneira incompleta, bem como do próprio profissional que, por geralmente ser jovem e lidar com um campo de trabalho relativamente mais novo do que os mais “clássicos” – como Mecânica, Eletrônica ou Engenharia -, não está preparado para o famigeradomercado de trabalho, não sabendo como se vestir ou se portar na empresa ou diante de um cliente.

Este artigo é inteiramente dedicado a esse profissional tão essencial à vida de milhares de usuários finais. Aqui, coloco algumas dicas sobre ética e comportamento que, se seguidas, ajudarão esse trabalhador a progredir em sua carreiraAos que tem formação superior, peço consideração e auxílio para os que estão começando.

O Técnico em Informática deve sempre atualizar-se sobre o assunto

Conforme já foi dito, muitos cursinhos técnicos de informática não possuem um nível aceitável de qualidade no tocante ao conteúdo ensinado. Pior ainda, não são todas as universidades que possuem um curso de Licenciatura em Informática o que, muitas vezes, faz com que o professor tenha uma formação de cientista ou de engenheiro – ou, até mesmo, de técnico – e não tenha base curricular para lecionar.

É fato conhecido de que todas as profissões – médico, engenheiro, arquiteto, professor – precisam se atualizar constantemente e, para quem lida com um campo tão dinâmico quanto a informática, essa exigência possui um peso maior, afinal, o que você aprendeu hoje em seu curso pode não valer mais no mês que vem.

O técnico em informática não deve considerar suficiente apenas o que aprende em sala de aula: deve pesquisar constantemente em fóruns, em livros e em sites especializados para nunca ficar para trás.

O Técnico em Informática deve cuidar da sua aparência profissional

Por ser um campo de trabalho relativamente recente, muitos profissionais e empresas de informática trabalham em um ambiente informal, o que de certa maneira é bom, mas que, se exagerado, pode causar uma péssima impressão para o cliente.

Apenas para citar um exemplo, semana passada eu passei em frente a uma empresa que vendia antenas de TV por assinatura de uma famosa marca nacional em minha cidade. Os trabalhadores da empresa, devidamente uniformizados, estavam colocando caixas em um veículo e, perto deles, um carro adesivado com o logotipo da operadora estava com o rádio no último volume tocando um funk com letra de duplo sentido. Mesmo que esse fosse o estilo musical preferido daqueles funcionários, eles involuntariamente associaram uma marca nacional a um estilo de música que nem todos gostam, o que poderia fazer com que alguns potenciais clientes que estivessem passando pelo local procurassem um serviço concorrente.

Com o técnico ou a empresa de informática, é a mesma coisa – principalmente se o trabalho for a domicílio. Como profissional, evite trabalhar usando boné, bermuda, corrente, física ou regata, pois isso poderá causar uma má impressão. Se possível, vista uma roupa social e trate seu cliente com cortesia. Caso a empresa dispense formalidades, pergunte ao seu empregador quais seriam os trajes adequados.

Formatação e pirataria

Esse é, talvez, o ponto mais polêmico do trabalho do técnico em informática. Ambas as questões são bastante delicadas.

Por um lado, profissionais de formação acadêmica acusam os técnicos em informática de serem reles formatadores, recorrendo à medida extrema, muitas vezes de forma incorreta e precipitada, a fim de resolver quaisquer problemas, de uma infecção por vírus até uma mensagem de erro misteriosa. Por outro, devemos nos colocar no lugar desse profissional. Mesmo sabendo que, hoje, existem ferramentas apropriadas para detectar e remover infecções, como HijackThis! e ComboFix, precisamos considerar que, muitas vezes, o empregador entrega ao técnico uma grande quantidade de máquinas com diversos problemas para serem resolvidos até o final do expediente e, dessa forma, o técnico fica sem tempo para pesquisar uma solução mais adequada aos problemas apresentados, recorrendo à extrema medida.

Isso poderia ser resolvido com capacitação profissional e recai sobre o primeiro item dessa lista, o qual diz que o técnico deve sempre procurar se atualizar.

A falta de atualização é, também, uma das grandes responsáveis pela pirataria de software, a qual parece rolar solta nas oficinas de manutenção. Muitos técnicos, ao receberem um micro para formatar, logo tratam de enfiar o CD do Windows Ultimate no drive e excluir tudo que exista no disco. A maioria não deve saber que os computadores atuais possuem partições de recuperação, as quais permitem reinstalar o sistema original de fábrica em poucos minutos mediante o pressionar de uma combinação de teclas durante o boot, sem a necessidade de discos ou de drivers adicionais. A partição de recuperação deve ser o método de formatação preferido, a menos que o cliente tenha solicitado a mudança do sistema operacional.

Quando o cliente solicita a mudança ou a instalação do sistema operacional, caímos em um ponto delicado pois, como todos nós sabemos, o Windows é um sistema caro e, embora existam versões mais em conta para usuários domésticos, como a Home Premium, muitos simplesmente as ignoram, procurando instalar logo a famigerada versão Ultimate, pensando que ela seja a melhor, mesmo que o usuário não aproveite sequer um décimo dos recursos oferecidos.

Pirataria de software é crime tanto para quem instala quanto para quem usa. O técnico ou a loja devem ter uma política clara quanto a isso e conscientizar os clientes sobre alternativas disponíveis como, por exemplo, sistemas baseados em Linux.

Zelar pelos dados do cliente

O Técnico em Informática não está autorizado a, de qualquer forma, acessar, copiar, visualizar ou excluir os dados do equipamento do cliente. Esse é um princípio básico mas que, muitas vezes, passa batido por várias lojas e profissionais.

Foi-se o tempo em que o computador era apenas um eletroeletrônico comum; Hoje em dia, principalmente com a ascensão dos notebooks e demais equipamentos portáteis, eles se tornaram uma extensão de nossas vidas pessoal e profissional. Graças aos HDs cada vez maiores, médicos podem armazenar prontuários e receitas em seus notebooks, assim como professores podem guardar provas e conceitos, advogados podem colocar arquivos com processos civis e criminais ou uma simples família coloque fotos de seu final de semana na praia. Tudo isso agrega valor ao equipamento, fazendo-o valer muito mais do que o preço pelo qual ele foi comprado.

Músicas, filmes, documentos, fotos, programas originais… o técnico não pode tomar para si o que é do cliente. Por mais que sejamos humanos, passíveis ao erro, devemos tratar os dados do computador do cliente com o máximo de respeito e profissionalismo. Recentemente a prática de apoderar-se e compartilhar informações sem permissão virou crime com “duras penalizações”, portanto, um motivo a mais para manter a integridade das informações de clientes.

Da mesma forma, o profissional ou a empresa deve ter uma política clara de backup. No caso de o disco rígido precisar ser formatado, o que vai acontecer com os arquivos pessoais? A loja vai gravá-los em outra mídia e entregá-la ao cliente? Ela vai armazená-la em outro dispositivo e, depois recolocá-los em seu lugar original? O que vai acontecer com esse dispositivo? Ou será que o backup é de responsabilidade do cliente e a loja não quer nem saber? São questões a se pensar bem.

O Técnico em Informática não deve agir de má-fé

É sabido que a maioria dos usuários mal sabe ligar o computador – e é justamente por isso que eles recorrem ao técnico em informática quando tem problemas. Infelizmente, porém, muitos técnicos se aproveitam desse fato conhecido para extorquir dinheiro de seus clientes de maneira fraudulenta. São defeitos que não existem, peças trocadas que não precisavam ser substituídas ou, até mesmo, a criação proposital de “bombas relógio”, ou seja, a plantação de um problema que vai acontecer em determinado tempo para que o cliente retorne àquela assistência.

Um bom profissional trata o cliente com respeito, seja qual área for. Jamais deve-se aproveitar da ignorância do cliente para lhe empurrar um produto ou serviço desnecessário e sempre deve-se consultar o dono do equipamento antes de instalar ou remover qualquer peça ou programa.

Enfim, esse artigo não tem por intenção esgotar o assunto ética profissional, mas servir de guia básico àqueles que escolheram a computação como sua opção de vida. Bem-vindo ao time!

 

fonte:http://www.profissionaisti.com.br/2013/03/o-tecnico-em-informatica-e-a-etica-profissional/

9 MITOS DA INFORMÁTICA QUE VOCÊ PROVAVELMENTE ACREDITA

 

 
Cansado de ouvir sua mãe falar besteiras para te assustar? Fica com uma pulga atrás da orelha sempre que um colega seu diz para você não fazer alguma coisa na frente do computador? Pois então não priemos cânico! hoje iremos derrubar uma série de mitos da informática, para, quem sabe, te deixar mais tranquilo. Veja:
 
1) É verdade que se retirarmos o pendrive sem ir em “remover dispositivo com segurança” podemos queimar o dispositivo?
 
Não vai queimar seu pendrive, justamente por que o pendrive é uma memória flash, acostumada com variações de energia. No entanto, se você estiver utilizando um HD externo que possua um disco, a queda repentina de eneergia pode prejudicar o aparelho. Mas no caso do pendrive, basta removê-lo em uma velocidade moderada e de forma RETA. Assim, você não precisará se preocupar se de vez em quando retirar o pendrive de forma “irregular”.
 
2) Realmente existem vírus capazes de entrar via rede elétrica no computador?
 
Não! Um verdadeiro mito, os vírus nada mais são que “softwares”, e softwares só podem ser instalados em dispositivos ELETRÔNICOS com memória, e não ELÉTRICOS (como as redes de energia de sua casa). Porém existem vírus bem mais elaborados que podem afetar outros dispositivos eletrônicos (como já tivemos casos de TVs e até rádios infectados) que se instalam por meio de CDs e Pendrives.
 
3) Desligar o computador sempre que terminar de usar é bom?
 
Não! Na verdade é justamente o contrário. Toda vez que o computador inicia/reinicia, ele tem que re-organizar todos os dados do HD (que fisicamente são uma espécie de pó de metal), isso causa um certo desgaste do disco rígido a longo prazo. Historicamente falando, o computador foi uma máquina criada para nunca mais ser desligada, porém com aperfeiçoamentos de hoje em dia, você não precisa se preocupar tanto. Mas que há um desgaste, isso há.
 
4) Posso ser preso se eu usar programas piratas?
 
Não, a legislação brasileira indica como crime a VENDA e/ou a distribuição de programas piratas, e não o uso. Porém se você for pego usando softwares piratas, ou sofrer uma denuncia, terá que pagar uma multa (que varia o valor dependendo da região), além de comprar a versão original do programa. (fora do Brasil a legislação muda.)
 
5) Desligar o computador sem ir em “iniciar > Desligar…” prejudica a máquina?
 
Não de forma direta. Se você desligar direto no botãozinho, não dá tempo do Windows separar os arquivos do sistema, por em ordem as DLLs, fazer um “mini ponto de restauração”, salvar seus projetos, etc… Porém não vai afetar em nada o software ou até mesmo o hardware do computador (no máximo deixar as coisas meio bagunçadas). Nada que precise se preocupar. Só não pode desligar direto no estabilizador, cortando a energia de repente, ok?
 
6) Xiiiiiiii, computador molhou!!! Estragou?
 
Não. O computador só estragará se estiver LIGADO quando for molhado. Caso o computador molhe (desligado), basta abrir (e se possuir conhecimentos, desmontar) o computador e deixar secar de modo natural. NUNCA seque usando secadores de cabelo ou deixe no sol, isso sim será prejudicial ao computador, mas quanto a água não precisa se preocupar, muitos técnicos inclusive lavam as peças do computador com água corrente para obter um melhor desempenho. OBS.: Como lembrou o leitor Carlos Silvestre, é importante retirar a bateria CMOS da placa mãe caso você resolva lavá-la, pois a mesma produz energia de 5v, e enquanto o faz não pode ser molhada.
 
7) Empurrar o driver de CD com as mãos, estraga o aparelho?
 
Não, na verdade os drivers de cd dos computadores (com exceção dos notebooks) são feitos para isso mesmo, eles são sensíveis ao toque, fazendo com que ele entre assim que empurrarmos, logo, se não utilizarmos força bruta, não tem problema algum!
 
8) O computador gasta mais energia no momento em que liga, do que quando permanece ligado?
 
Não mesmo! O computador não é um carro, e não possui motor de arranque. Desligar o computador economiza energia elétrica sim, e a o pico que ele precisa atingir para ligar é praticamente insignificante.
 
9) Colar imãs de geladeira no gabinete, estragam o computador?
 
Nananina não! Os computadores não são tão sensíveis quanto parecem. Você pode colar sem nenhum problemas imãs de geladeira no gabinete do seu computador que ele não vai explodir. O único problema seria se você colocasse um SUPER IMÃ colado diretamente no HD do computador, aí poderiam ocorrer problemas. (OBS: Mantenha o imã longe dos monitores também!)

Lei aprovada nesta terça-feira (10) proíbe o uso inadequado dos serviços de TV por assinatura

Usar “gatonet” agora é crime e dá até dois anos de cadeia

Usar

 

Praticamente qualquer brasileiro já ouviu falar do famoso “gatonet”. Pois bem, saibam que agora é uma boa ideia dar um fim ao “serviço” e trocá-lo por uma TV por assinatura de verdade se você não quiser parar na cadeia.

Isso porque um projeto de lei aprovado nessa terça-feira (10) torna o ato um crime, segundo o site Convergência Digital. Agora, quem for pego com o sistema recebe como punição de seis meses a dois anos de cadeia.

Vale notar também que a nova lei não cita especificamente o “gatonet”, mas sim qualquer uso inadequado dos serviços. Isso inclui também o uso de equipamentos não certificados pela Anatel para receber o sinal; logo, é melhor também se livrar de decodificadores alternativos e ficar apenas com aquilo que é fornecido pelas próprias prestadoras do serviço de TV.

Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/tv-a-cabo/48083-usar-gatonet-agora-e-crime-e-da-ate-dois-anos-de-cadeia.htm#ixzz2nCGjX8Ug

 

fonte:http://www.tecmundo.com.br/tv-a-cabo/48083-usar-gatonet-agora-e-crime-e-da-ate-dois-anos-de-cadeia.htm?utm_source=facebook.com&utm_medium=referral&utm_campaign=imggrande

OUTLOOK ,dispensando a secretária ???

Estudos indicam que o homem de hoje possuem em média 70% mais tarefas e compromissos no seu dia a dia do que os homens de 20 anos atrás , confiando sempre na memória aquela famosa palavra “esqueci” de pagar a conta , de fazer o relatório , de sacar o dinheiro , de tomar o remédio , de comprar a mistura , de comprar o presente também fazem parte do homem moderno.

Executivos ,Gerentes,Supervisores precisam de uma secretária justamente para evitar erros e criar planejamento na sua agenda pessoal ou profissional mas será que somente na empresa precisamos de alguém para ajudar a organizar sua rotina ?

Confiar na memória traz sérios problemas no trabalho e na vida profissional , agora imagine um local onde possamos enviar e receber E-mails , planejar e ser lembrado de compromissos e tarefas , ter rápido acesso a uma agenda de contatos e até simples e corriqueiras anotações , apresentamos sua nova secretária o OUTLOOK.

 

Um forte braço.

 

Professor Rogério Barbosa  

Lide elege empresas líderes do Brasil

Confira as empresas premiadas nas respectivas categorias:
Líder em agronegócios:
Monsanto
Cargill
Cutrale

 

Líder na construção civil
Cyrela
Andrade Gutierrez
Even

 

Líder em economia verde
SC Johnson
Dow
Basf

 

Líder em eletroeletrônicos
Electrolux
Whirlpool
Schneider Eletric

 

Líder em ciência e tecnologia
HP
LG
Oracle

 

Líder em energia
AES Eletropaulo
Copel Distribuição
Cemig

 

Líder em gestão ambiental
Arcelor Mittal
P&G
Volvo Caminhões

 

Líderes em gestão esportiva
Atletas pelo Brasil
Comitê Paralímpico Brasileiro
Instituto Rumo Náutico

 

Líder em gestão e inovação pública
Apex Brasil
Banco do Brasil
Correios

 

Líder na indústria de alimentos e bebidas
BRF
Bunge
Nestlé

 

Líder na indústria automobilística
GM
Toyota
BMW

 

Líder na indústria de cosméticos e bem-estar
Colgate-Palmolive
Johnson&Johnson
L’Oreal

 

Líder em saúde
Bradesco Saúde
Hospital Sírio Libanês
Hospital Albert Einstein

 

Líder na indústria farmacêutica
Medley
Bionovis
EMS

 

Líder na indústria do turismo
CVC
Gol
TAM

 

Líder em inovação
3M
GE
Microsoft

 

Líder em instituições financeiras
Bradesco
Itaú
Caixa Econômica Federal

 

Líder em mercados internacionais
Petrobras
JBS
Odebrecht

 

Líder em mineração
Vale
Samarco

 

Líder em produtos de higiene e limpeza
Bombril
Unilever
Reckitt Benckiser

 

Líder em telecomunicações
GVT
Embratel
Claro

 

Líder no varejo
Walmart
Riachuelo
Magazine Luiza

 

Líder do Brasil no setor privado
André Esteves (BTG Pactual)

 

fonte:http://economia.terra.com.br/lide-elege-empresas-lideres-do-brasil,900fccfa4b8d2410VgnVCM10000098cceb0aRCRD.html